Amigo Pet & Eu Comportamento Notícias

Intoxicação em cães requer ação imediata

Todo cuidado é pouco com os bichinhos de estimação, o que fazer? Veterinária orienta como proceder após identificar o envenenamento; produtos com carvão ativado podem ajudar a impedir que substâncias perigosas cheguem à corrente sanguínea do cão ou gato, evitando o óbito. 

Seu pet comeu algo estranho e está passando mal: você se desespera e tenta induzir ao vômito ou mesmo dar leite ou outro alimento, na intenção de salvar o animal. Mas saiba que isso nem sempre é o melhor a se fazer. “O mais importante é ter calma, identificar o produto que foi ingerido e levar o pet ao veterinário”, diz Isabela Ribeiro, médica veterinária da Petvi.

Segundo a profissional, podem ser diversas as causas de envenenamento: plantas, alimentos tóxicos para cães, medicamentos, produtos de limpeza. Ela orienta o uso de forma imediata de produtos que contenham carvão ativado, que absorvem as substâncias tóxicas e impedem que as moléculas perigosas caiam na corrente sanguínea. São produtos que tem em sua composição o carvão ativado, que por ser altamente poroso, “gruda” nos elementos venenosos e fazem com que estes sejam excretados pelas fezes. “Isso impede que pelo menos parte do produto químico ingerido chegue na corrente sanguínea, reduzindo as chances de óbito”, garante a veterinária.

 A eficácia do carvão ativado pode ser comprovada no atendimento do gato Theo. O gato de sete anos chegou na casa dos tutores arrastando as pernas de trás e salivando muito. Os donos, assim que perceberam o estado do animal fizeram ele engolir o gel de carvão ativado da Petvi, o Helpvi, levando ao veterinário logo em seguida.

 O médico constatou que o animal tinha ingerido veneno de rato, o popular chumbinho, em quantidade relativamente grande. “O carvão ativado foi decisivo para a absorção do veneno, sem ele o animal teria ido a óbito em poucos minutos”, atesta Isabela.  Segundo ela, o importante nesses casos de envenenamento é a rapidez em administrar o produto com carvão ativado e também a ida ao veterinário. “Só o profissional poderá tomar a decisão correta, por exemplo, proceder com a fluidoterapia (administração de soro), lavagem gástrica ou utilizar medicações injetáveis”, afirma.

 

 

Sobre a Petvi 

 Apaixonados por cães, os irmãos Max e Patrick Peters e o amigo Rafael Dzik estudaram amplamente o mercado pet e constataram que a expectativa de vida dos animais estava diminuindo. Decidiram entrar no mercado de suplementação e desenvolveram, juntamente com os maiores especialistas da área, uma fórmula inédita para melhorar a qualidade de vida dos cães. Surgiu então o Longevi, primeiro “super suplemento” canino, que atua ajudando a eliminar a queda de pêlos, fortalecendo a imunidade e melhorando sua disposição. Também já lançaram um suplemento para cães com problemas articulares, gel anti-tártaro, solução de limpeza de ouvidos, e até mesmo um suplemento que socorre o animal quando ingere substâncias impróprias. Trabalhando com o modelo direct-to-consumer (D2C), a empresa oferece os seus produtos diretamente para o consumidor final via e-commerce, sem contar com a intermediação de varejista. Nos seus primeiros 12 meses a Petvi já conquistou mais de 45 mil clientes e foi selecionada para o prestigiado Scales-Ups da Endeavor, um programa das 12 das empresas de consumer goods que mais crescem no Brasil.

Exposição: A ARTE DE YOSHINO MABE

Exposição: WAKABAYASHI

Assessoria Contábil

KARATÊ

Exposição: A ARTE DE YOSHINO MABE

Exposição: WAKABAYASHI

Assessoria Contábil

KARATÊ