Aconteceu! Você viu? CAPA Cultura Entretenimento Karaokê Musica

No retorno presencial, Sayuri Ohashi é GP da ABRAC 2022!

(foto: Patricia Nisie Tango Shiba)

Coroado de pleno êxito o retorno ao formato presencial, a ABRAC realizou nos dias 23 e 24 de julho de 2022, no grande auditório do Parque Maeda, seu 35º Concurso Brasileiro da Canção Japonesa, tendo como Grande Campeã, a cantora SAYURI OHASHI! Ela conquistou-o pela segunda vez, sendo que a primeira fora em 2018, na 33ª edição, em Maringá (PR).


“Fiquei muito feliz em poder participar do retorno do Brasileirão presencial. Nossa! É muito gostoso poder voltar a cantar, sentir a presença do público, reencontrar o pessoal, dividir o palco com pessoas que admiro tanto!”, começou assim, a campeã Sayuri externando sua emoção, mesmo sendo pela segunda vez que o conquista. “Sinceramente, não esperava conquistar o primeiro lugar nem na minha categoria, muito menos o grand prix!”, confessou. “Tinham tantas pessoas tão talentosas ali, cantando com todo o coração que, acho, o sentimento geral foi de frio na barriga pela volta aos palcos, vontade de cada um de dar o seu melhor e entregar para o público o sentimento de felicidade do retorno. Fico muito feliz por poder fazer parte disso”, concluiu com muita gratidão, claramente estampada em seu rosto sempre risonho.


Superando todas as expectativas, em virtude do momento ainda não plenamente superado devido à ainda pandemia, essa edição contou não apenas com um número considerado excepcional de cantores inscritos como teve o auditório lotado nos dois dias em que foi realizado.
Por isso, pelas incertezas ao planejamento, a comissão se preveniu valendo-se também de transmissão online o que contribuiu ainda mais para o sucesso do mesmo. Isso porque, devido ao distanciamento do local, e ao momento, muitos cantores que normalmente iriam nos próprios dias de apresentações, dessa vez, até puderam acompanhar “de casa” o evento todo, ao vivo.


Um formato que veio para ficar, com o qual a própria reportagem também se valeu desse benefício oferecido pelo canal Abrac do Youtube, produzido pela DaiPró Eventos. Sem contar o excelente trabalho de estrutura do palco, imagens no telão e sonorização realizados pela CCA Leds Eventos e Produções.

O evento em si
No sábado, como de praxe, por ser o primeiro dia, para dar início oficialmente o evento, foi realizado uma pequena abertura subindo ao palco a presidente da Abrac, Akemi Nishimori; o coordenador geral do evento, Pedro Mizutani; a coordenadora Akemi Okamoto; e, o sócio fundador e presidente geral dos jurados Ricardo Origassa. Saudaram o público brevemente e desejando sucesso a todos abriram oficialmente o evento.


A Comissão de Jurados foi bastante seleta formando três grupos técnicos e um de letra, compostos por cinco professores, cada um tendo um presidente para os casos de desempate e dúvidas, sendo que à categoria Pop o grupo foi formado pelos presidentes de cada um dos grupos anteriores.


Devido a imprevistos de última hora, o evento acabou tendo de ser apresentado por apenas quatro apresentadores, que tiveram de se revezar nos dois dias: Yoshiaki Shinde (coordenador), Mamoru Hayashi, Kazue Takahira e Edna Nishiya.


Nesse primeiro dia, após as apresentações das categorias Veteranos E3, E2 e E1, e das categorias Doyo E, D, C B e A, nessa ordem, logo após já foi realizado também as primeiras premiações do evento, aos classificados das categorias de veteranos citados para, prosseguindo com o cronograma dar início à cerimônia da Abertura Oficial.

Abertura Oficial
Como de praxe, inicialmente, foram chamadas as autoridades presentes para compor a mesa. Tendo em vista as condições precárias do palco, construído excepcionalmente para o evento, apenas dez delas subiram ao mesmo enquanto as demais se postaram em assentos colocados logo à frente do público.
Prosseguindo, deu-se início ao desfile dos porta-bandeiras e representantes regionais, começando pelas bandeiras da Abrac, de Itu, do Japão, do Brasil e, na sequência, de todas as regionais participantes. Logo após perfilados, cantou-se os hinos nacionais do Brasil e Japão e foi solicitado um minuto de silêncio em homenagem póstuma aos cantores, membros das associações e simpatizantes falecidos nesse longo período de pandemia.


Os oradores do cerimonial foram: Akemi Nishimori, presidente da Abrac; Pedro Mizutani, coordenador geral do evento; Tadao Ebihara, vice-presidente geral dos jurados; Tiyomi Takase, presidente da UPK; Akemi Okamoto, com Fernando Maeda; Sandro Barros, representando os patrocinadores; Renato Ishikawa, presidente do Bunkyo/SP; Ryosuke Kuwana, Cônsul Geral do Japão em São Paulo; e, Maitê Velho, secretária da Cultura do Município de Itu, representando o prefeito Guilherme Gazzola.
Aproveitando o ensejo, pelo fato de se considerar que o evento pode ser viabilizado graças ao trabalho dos cerca de duzentos colaboradores voluntários, em nome de todos, Yoko Tanabe, considerada a primeira da entidade, desde sua fundação há 38 anos, foi simbolicamente homenageada.


Encerrada a cerimônia, vieram na sequência as apresentações dos cantores das categorias Tibiko C, B e A; Veterano D2; Premiações; Veterano D1, Juvenil A e B e, finalmente, a categoria mais aguardada do Pop, encerrando esse primeiro dia, que teve 333 cantores inscritos.

O sábado se encerrou, como sempre e de forma animada com a categoria Pop, com 17 cantores se apresentando. A campeã foi Cláudia Midori com a música de Naruto Kuroki (Taiyo no Smile), último lançamento dele, com sucesso, no Japão. Naruto, que esteve presente no Brasileirão, pode apreciar a apresentação dela ao vivo, além de compartilhar essa conquista que a levou ao Grand Prix.

No domingo, derradeiro dia, devido também ao Grand Prix, competição final entre os respectivos campeões das categorias para se determinar o Grande Campeão, apenas 236 cantores inscritos se apresentariam.
E tendo iniciado também às 8h, as primeiras categorias a se apresentarem foram as do Veterano C2 e C1, passando pelos Veteranos B e A para se encerrar com as do Adulto B e A e, imediatamente, realizarem as premiações que definiriam os campeões desse dia para, por fim, com os do dia anterior, competirem no Grand Prix logo a seguir.

Grand Prix
Antes das apresentações dos cantores que disputariam o título de campeão do Grand Prix, foi anunciado e chamado ao palco as regionais campeãs do Dantai sen, cujo título foi para a Regional Higashi/SP, dando início à série do novo troféu cujo anterior, de forma definitiva, já ficara de posse dessa mesma regional. A segunda colocação ficou para a regional Nishi/SP e, a terceira, para Noroeste/SP.


A seguir, o 15 campeões classificados em suas categorias para disputar o Grand Prix, adentraram ao palco que, por ordem de apresentação, foram:  Sadao Okuyama (Sul do Paraná), Mineko Kimura (Leste do Paraná), Luís Yabiku, (Centro-Oeste/SP) Ayako Matsufuji (Minami/SP), Edson Michida (Nishi/SP), Chinobu Tada (Noroeste/SP), Eiichi Sugahara (Higashi/SP), Kimio Suzuki (Nishi/SP), Paula Hirama (Centro-Oeste/SP), Laís Shiba (Higashi/SP), Ayako Kamimura (Nishi/SP), Sayuri Ohashi (Centro/SP), Angelaísa Toyota (Centro Oeste/SP), Enzo Zakimi (Higashi/SP) e Cláudia Midori (Central/SP).


Todos se apresentaram com muita emoção e o público com muita vibração, numa interação que traduz claramente a satisfação e razão do sucesso alcançado pelo evento.
Mas antes de apresentarem o grande campeão, foram anunciados novas premiações especiais como ao campeão dentre os mais idosos (Sayu kashosho), contemplando Mineko Kimura; depois, a do Júri popular para Paula Hirama; e, por fim, aos melhores cantores escolhidos pelo júri que foram: Sadao Okuyama, entre os idosos e Edson Michida, dentre todos.
O Grand Prix, foi anunciado pelo presidente do Júri, Ricardo Origassa, com o suspense tradicional, pela soltura do áudio vencedor, recaindo para Sayuri Ohashi que se mostrou emocionada pela conquista e sendo cumprimentada efusivamente por todos os participantes dessa final, ainda em pleno palco.

Após esfriarem os ânimos e emoções, os protagonistas, amigos e familiares se juntaram no palco para as fotos de lembrança, encerrando assim mais esse Brasileirão.

Representantes regionais

 

 Alguns depoimentos
Akemi Nishimori: Nossa! É com muita alegria que retomamos nosso evento presencial para manter viva essa tradição da cultura japonesa. Depois de 2 anos a expectativa a esperança dobra, e quando chegamos à realidade, com tanta alegria, com tanto amor que encontramos em todos os participantes, a gente chega à conclusão que valeu a pena, que foi ótimo realizar esse evento presencial. Por isso, queremos agradecer a todas as pessoas que fizeram e fazem, voluntariamente, todos os esforços para que esse evento se concretizasse. Foram 200 voluntários! Esse dois anos de interrupção provocados pela pandemia também nos  fizeram refletir sobre o valor do relacionamento humano, do familiar, dos amigos. Só de ver a alegria nos semblantes de cada um pela retomada, pelo reencontro entre as pessoas, só vendo felicidade… já valeu a pena. Muito agradecida a todos os os voluntários, de todos os setores e, em especial ao Parque Maeda.


Ryosuke Kuwana: Fiquei muito feliz por poder usufruir desse ambiente de pura emoção e alegria. Cantar é uma das formas mais extraordinárias para externar nossos sentimentos. O karaokê atrai a confraternização e cria laços entre culturas. Quero deixar meu profundo respeito à comissão e voluntários, parabenizar seus organizadores. É realmente impressionante observar esse concurso da canção japonesa no plano nacional. Tantos participantes e com diferença de idades empressionante, de 3 a 96 anos de idade. Estou muito agradecido à comissão, voluntários e tb participantes por manter a cultura japonesa no Brasil. É um orgulho para nós, japoneses, pelo karaokê ou outras formas de comunicação estarem sendo mantidos no Brasil. Nós do consulado também temos que trabalhar com a comunidade nipo-brasileira para continuar a fomentar a cultura japonesa no Brasil.
Renato Ishikawa: Agradeço de coração pelo convite para participar de um evento grandioso como esse. Uma verdadeira festa também. A música é a ponte de interação entre as pessoas. Organizar isso com tal envergadura é o que preserva cultura japonesa, no Brasil. Não existe no mundo, nem no Japão, algo desse porte. O nikkei no Brasil consegue. É preciso parabenizar a todos. Fantástico! Meus aplausos a todos, comissão, voluntários e participantes!
Pedro Mizutani: para mim é um orgulho muito grande poder coordenar esse importante evento principalmente pós pandemia, agradecer a todos e a Deus por estarmos vivos aqui. Enorme satisfação de, até por isso, uma ótima oportunidade para conhecer pessoalmente muita gente com que relacionamos via online nesse período. Talvez se não tivesse havido essa interrupção dos eventos normais (presenciais) não percebessemos a importância dessa relação amistosa que existe entre os cantores. Estaríamos simplesmente vivendo aquele nosso mundo e só. Ah! Sobre a organização do evento em si, gostaria de lembrar que neste evento não tem regional liderando porque todas as regionais estão trabalhando juntas desde o início; um dos maiores eventos do mundo).
Mary e Eiso Hassunuma: Achei esse Brasileirão maravilhoso… maravilhoso!! Tudo estava perfeito! O tempo esteve bom, tive a alegria de ver todo mundo cantando, de ver os jitians se emocionando ao subir no palco para cantar, rever os amigos. Não poderia ser melhor! (Mary). Concordo com ela, ainda mais pelo sentimento do reencontro, porque fiquei mesmo com vontade de abraçar a todos, literalmente… rs. Tecnicamente achei que o nível caiu um pouco, mas por razões óbvias porque por mais que se treine, ainda mais por online, pois ficar dois anos sem colocá-lo na prática, além do psicológico fisiologicamente também deve afetar. Agora, é torcer para que tudo volte ao normal (Eiso)
Angelaísa Toyota, campeã da categoria Veterano B, extraída de sua manifestação no Facebook: Mais um ano de Abrac na minha vida  Quanta emoção e alegria !!! Durante todos os anos de concurso tive uma evolução muito grande graças aos queridos professores, torcida e apoio dos amigos e família ! Muita gratidão a tudo que conquistei e grandes amizades que fiz, graças a Abrac! Saí feliz do palco porque consegui dar o meu máximo sem pensar em fazer somente o certo, mas cantar com o coração! Somente gratidão a tudo e a todos os amigos pela torcida !!! Parabéns comissão organizadora, cantores, jurados e voluntários pelo lindo evento !!! Lu, valeu pelo vídeo! Renato, por sempre me ajudar!

Serviço: Para assistirem aos vídeos relativos, acesse o canal Abrac do Youtube, onde constam todos.

(texto: Silvio Sano – fotos: próprio, Kazue Takahira, Mayumi Takahashi, Patrícia Nisie Tango Shiba, Claudia Midori e canal Abrac do Youtube)

 

Silvio Sano

- ARQUITETO, pela Univ. Mackenzie (1974), tendo como auge o projeto executivo da arquibancada superior do Estádio Santa Cruz (Recife), em 1981/82; ESCRITOR (sete livros, um dos quais: Corinthians, 100 Anos - Gols Ilustrados); COLUNISTA e CHARGISTA, desde 1996; JORNALISTA, com MTb desde 2012; e, COMPOSITOR (haicais e versões em português de músicas estrangeiras);
- conhece o Japão por quatro óticas diferentes (bolsista, 1975; lua-de-mel, 1980; Univ. Nagoya, 1985/87; e. decasségui, 1989/92);
- um dos administradores dos sites Nikkeyweb e Portal Oriente-se.
- Palestrante (tema atual: Konflitos Nikkeis, mesmo após mais de um século);
- tem páginas no Facebook, Twitter, Instagram e canal no Youtube
- email: silvio.sano@yahoo.com

Deixe seu comentário

Clique aqui para publicar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Assessoria Contábil

Assessoria Contábil

KARATÊ

Assessoria Contábil

Assessoria Contábil

KARATÊ