CAPA Empresas & Economia Notícias Novidades

V Simpósio do MPN debate “Pichações, Educação e Combate a corrupção”

Hatiro Shimomoto comanda V Simpósio MPN com temas; Pichação, Educação e Combate a Corrupção. Foto: Luci Judice Yizima

O 5º Simpósio do Movimento Político Nikkei teve como temas Movimento para acabar com as Pichações, Educação e Combate a corrupção, com os convidados nikkeis Reimei Yoshioka e Carlos Kendi Fukuhara que foram unânimes em destacar a importância de se eleger políticos nikkeis. Na ocasião estavam presentes o ex-deputado estadual Hélio Nishimoto (PSDB), Vice-prefeito de Guaratinguetá, Régis Yasumura (PTB), vereador George Hato(MDB), Oridio Shimizo (Assessor do Vereador Aurélio Nomura), Olimpio Minoru Kosonoe (Assessor do Vereador George Hato), sob o comando do Coordenador do Movimento Político Nikkei, o sempre deputado Hatiro Shimomoto.

 

Qual a importância do político nikkei?
Foto: Luci Judice Yizima

 

De acordo com o assessor da Secretaria de Relações Internacionais da Prefeitura do Município de São Paulo, Carlos Kendi Fukuhara sempre esteve ao lado da política, como funcionário público. “No meu conceito a política é uma vocação de servir a comunidade, tem que gostar”, afirma. “O político tem que servir o público, a comunidade. Precisamos de forma consciente saber qual a importância do político nikkei? Será que apoiamos os projetos desses políticos? Temos que nos aproximar dos políticos com propostas para benefício do coletivo e não individual. Para ser eleito o político tem que apresentar propostas para o bem comum, o político precisa de apoio da comunidade, não podemos só criticar o político, temos que apresentar projetos consistentes, o parlamentar tem que ter instrumentos para aprovar uma emenda parlamentar. Por isso que tem que ter a nossa participação, da sociedade Nipo-Brasileiro e da sociedade como um todo”, aponta Fukuhara.

 

“A preocupação com os estudos, sem dúvida foi um dos mais importantes legados que todos nós, descendentes de japoneses, recebemos dos nossos pais e avós”, afirma Yoshioka.
Foto: Luci Judice Yizima

 

“Nós temos que ter uma linha de conduta para ajudar os candidatos nikkeis. Temos que ter facilitadores na Câmara Municipal, na Assembleia Legislativa, na Câmara Federal e no Senado, para isso precisamos unir forças, valorizar a experiência dos candidatos mais velhos com sua expertise e dos novos precisamos ensiná-los a dar continuidade dos projetos, a manter o elo com a sociedade como todo, seja ela Nipo-Brasileira ou não, e não recomeçar, seria perda de tempo”, destaca Carlos Kendi.

Reimei Yoshioka, Hatiro Shimomoto e Carlos Kendi Fukuhara
Foto: Luci Judice Yizima

 

Durante sua fala, Fukuhara abriu um parêntese sobre a imprensa Nipo-Brasileira que faz de um todo para se manter ativa, porém precisa da ajuda e do apoio dos políticos e da sociedade Nipo-Brasileira para se manter. “A imprensa que nos permite divulgar os eventos e os acontecimentos dentro da comunidade e da sociedade, temos que fortalecer, fomentar a informação, apesar de estarmos na era digital, temos que abastecer a imprensa. Alguém tem que divulgar as ações dos políticos e da comunidade. Que tipo de suporte que devemos dar a imprensa? Novas mídias. Seja ela jornalismo informativo, associativo, investigativo ou opinativo, temos que abastecer e fomentar as notícias da sociedade como todo. Estamos na era digital com constantes mudanças, precisamos fortalecer e ser mais ousados e sair da retaguarda, indicando nikkei a alta escala, com oportunidades a cargos nas secretarias”, cogita Carlos Kendi.

 

Vereador George Hato defende o esporte nas periferias de SP.
Foto: Luci Judice Yizima

 

Outro convidado que tem a mesma opinião é Remei Yoshioka, atualmente Vice-Presidente da Assistência Social Dom José Gaspar – Ikoi-No-Sono destaca a importância que o político tem que conhecer a comunidade o qual está inserido e suas necessidades como a educação. “A preocupação com os estudos, sem dúvida foi um dos mais importantes legados que todos nós, descendentes de japoneses, recebemos dos nossos pais e avós. Nasci na zona Rural de Mirandópolis, fiz Escola Rural com classe mista, com formação Rural”, afirma. 

Segundo Yoshioka é uma provocação e são muitos os pensamentos em relação aos políticos, os interesses vão aumentando a velha guarda está sempre se elegendo. “Hoje, os nikkeis não se elegem só com a comunidade nikkei. Os instrumentos de eleição mudaram com as redes sociais, o político tem que ter essência, tem que valorizar a pessoa e sua formação. Ser honesto e de boa formação independente de ser nikkei ou não. Os valores que devem ser praticados como; caráter, ética, formação da honestidade que é uma moeda de troca. São valores que devem ser cultivados e praticados. Honestidade não é privativo só dos japoneses, deveria ser praticada por todos”, explica Reimei.

 

Ex-deputado Helio Nishimoto Coordena trabalhos no Vale do Paraíba
Foto: Luci Judice Yizima

 

“A educação brasileira anda muito mal porque os próprios professores não têm base, não tem alicerce. Quanto aos políticos tenho a mesma opinião do Carlos Fukuhara, mas vou puxar a brasa para minha sardinha no caso dos idosos, que necessitam de assistência. O que está faltando é o político pesquisar mais sobre seu eleitorado, ver as necessidades. O que é fundamental, e o que pode ser feito? Lido com idosos, como vou preparar cuidadores de idosos? A sociedade está envelhecendo, o que podemos fazer para esse público? Educação é fundamental. Primeiro o cidadão (político) deve saber o que é mais importante para sua comunidade. Os políticos devem procurar conhecer a comunidade e suas necessidades. E a partir daí traçar um planejamento de projetos”, destaca Yoshioka.

 

Vice-prefeito de Guaratinguetá, Regis Yasumura desenvolve trabalhos no setor da saúde
Foto: Luci Judice Yizima

 

De acordo com Reimei o cenário político do país passa por momentos cada vez mais delicados diante de tantos escândalos noticiados diariamente pela imprensa. “Ocorre que, há muitos anos o povo brasileiro sabe como funciona a política neste país, bem como sabe também da falta de moralidade e ética de diversos políticos, porém com o passar dos anos toda e qualquer sociedade tende a evoluir, ainda que a passos lentos, e a população começa a entender que a política faz parte do seu cotidiano, ou seja, a política não é um fenômeno isolado”, finaliza Yoshioka.

O encontro promoveu reflexões entre os convidados, políticos, com a participação dos meios de comunicação com o compromisso de criar projetos grandes e relevantes para a comunidade. Sendo uma via de mão dupla que precisa ser enaltecida.

Procurando Emprego??

Tradutor Juramentado

Assessoria Contábil

KARATÊ

Procurando Emprego??

Tradutor Juramentado

Assessoria Contábil

KARATÊ