Colunas Krônicas

Sou São Paulo?!

Há 17 anos, exatamente nesta data, 25 de janeiro, escrevi minha primeira krônica relativa ao aniversário de nossa cidade. Foi a pedido de um dos jornais, dentre os que escrevia na época, porque, normalmente, eu é que escolho meus temas. Dei-lhe o título de “Sou São Paulo”.
Comecei-a assim, o primeiro parágrafo:

Foi há 43 anos que pisei pela primeira vez na cidade de São Paulo, vindo de Fernandópolis, cidade do interior do mesmo Estado. E vim de trem, pela estrada de ferro araraquarense, outra emoção. Pouco antes, porém, um querido ‘tio’ (não biológico) me intimidou sobre esta cidade. Involuntariamente, lógico. Eu era xodó dele, do ‘Seu Narciso’, que era um ‘viajante’. Ou seja, para nós, ele ‘viajava’ quase sempre à Capital para comprar novidades e revendê-las em nossa cidade. Para ser mais claro, o sacoleiro dos dias de hoje. Enfim, ele gostava muito de mim. E ao saber de nossa mudança, começou a me contar sobre os perigos e os cuidados a se tomar no dia a dia de uma cidade grande. Lembro-me, apesar dos meus apenas 10 anos, de que me dizia como era perigoso até para atravessar as ruas daqui. Imagine hoje, então! Assim, vim para cá com muita expectativa.

A seguir, descrevi algumas lembranças dos primeiros anos na cidade para finalizar afirmando que acabamos criando forte vínculo entre nós, cidade e eu. Isso, há 17 anos, após 43 de convívio!
Nessa época ainda não existia redes sociais, nem movimentos sociais (?) tão extremos como agora. Não por isso nosso vínculo foi quebrado, apesar de abalado, sim. Se bem que, como essas manifestações são reflexos do mundo todo atual, não se justifica para mim, pois, o “melhor é se retirar, então!”. Assim, vou ficando enquanto “dou alguns descontos” para permanecer… rs.
Mas a demora desta segunda krônica do ano tem mais a ver com dois projetos de livro para este ano e com minha tradicional grande faxina (Oosouji) física e virtual. Se bem que, não nego, também por desconcentração provocada pela atual polêmica da vacina… rs
Assim sendo, até sopro a velinha com os paulistanos… mas não mais com o entusiasmo do passado.

Silvio Sano

- ARQUITETO, pela Univ. Mackenzie (1974), tendo como auge o projeto executivo da arquibancada superior do Estádio Santa Cruz (Recife), em 1981/82; ESCRITOR (sete livros, um dos quais: Corinthians, 100 Anos - Gols Ilustrados); COLUNISTA e CHARGISTA, desde 1996; JORNALISTA, com MTb desde 2012; e, COMPOSITOR (haicais e versões em português de músicas estrangeiras);
- conhece o Japão por quatro óticas diferentes (bolsista, 1975; lua-de-mel, 1980; Univ. Nagoya, 1985/87; e. decasségui, 1989/92);
- um dos administradores dos sites Nikkeyweb e Portal Oriente-se.
- Palestrante (tema atual: Konflitos Nikkeis, mesmo após mais de um século);
- tem páginas no Facebook, Twitter, Instagram e canal no Youtube
- email: silvio.sano@yahoo.com

Deixe seu comentário

Clique aqui para publicar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Exposição: A ARTE DE YOSHINO MABE

Exposição: WAKABAYASHI

Assessoria Contábil

KARATÊ

Exposição: A ARTE DE YOSHINO MABE

Exposição: WAKABAYASHI

Assessoria Contábil

KARATÊ