Notícias Saúde & Bem Estar

“Desenvolver autoestima é mais importante do que decorar a tabuada”, afirmam diretores da Teia Multicultural

Teia Multicultural

Neuropsicopedagoga e mestre em pedagogia Georgya Corrêa e o empresário e diretor administrativo Lucas de Briquez, sócios da Teia Multicultural, explicam como a autoconfiança auxilia o ser humano na busca pela conquista de seus objetivos, seja durante a vida escolar ou posteriormente. Estudos recentes revelam que o desenvolvimento da autoestima está intrinsecamente ligado ao ambiente escolar e às experiências vividas no mesmo. A necessidade de potencializar as habilidades individuais, os dons, as múltiplas inteligências e a percepção clara de que cada pessoa tem seus pontos fortes é tão importante (ou mais) quanto desenvolver conhecimentos específicos sobre as diferentes áreas do conhecimento (matemática, geografia, língua portuguesa, etc.). 

 

Georgya Corrêa

 

Lucas de Binquez

Para o diretor executivo do Asas Educação e diretor administrativo e sócio da Teia Multicultural, Lucas de Briquez, os dois objetivos estão diretamente ligados. “No ensino tradicional, na educação padrão que as gerações passadas receberam e que infelizmente a grande maioria das crianças recebe até hoje, o grande motivador do processo de aprendizagem é o medo. Medo de não ir bem na prova, medo de reprovar, medo de não ser aceito e admirado pelos seus entes queridos”, conta. “Valorizamos o desenvolvimento da autoestima, para que reconheçam seus pontos fortes e também reconheçam suas dificuldades, para aprenderem a lidar com essas características afim de aprimorarem-se como seres humanos”.

 

 

 

 

Teia Multicultural

 

O especialista em educação explica ainda que a autoestima atua como uma “camada protetora” para o aluno que, consequentemente, terá resultados significativos durante o percurso escolar, que se estendem para a fase adulta. “Se compreendermos que não somos excelentes em todas as áreas, e que está tudo bem sermos assim, podemos encarar melhor nossos desafios, entender nossas escolhas e nos fortalecermos quando estivermos diante de grandes decisões, como a escolha de uma carreira, por exemplo”, completa.

 

Educação 5.0

 

Já a neuropsicopedagoga e mestre em educação Georgya Corrêa explica o motivo de desenvolver determinadas habilidades emocionais e sociais, ainda na escola. “Porque é na escola que deve acontecer o desenvolvimento integral do estudante, ou seja, a educação por inteiro: mental (cognitivo), físico e emocional. O educador precisa ajudar o estudante a fortalecer esse desenvolvimento. Ou seja, supondo que o aluno seja bom em desenhar, a partir disso, nas disciplinas que envolvam desenho, ele poderá aprimorar essa habilidade, utilizar sua potencialidade, suas possibilidades de atuação, e, consequentemente, se sentir mais confiante”, esclarece.

 

Teia Multicultural.

 

Por fim, ela afirma que o reconhecimento da inabilidade deixa de ser um problema se a autoestima estiver fortalecida. “Desenvolver autoestima é mais importante do que decorar a tabuada, pois é conhecendo e reconhecendo suas capacidades que poderá lidar inclusive com suas dificuldades e ter tranquilidade para perceber a necessidade de se dedicar com mais afinco a um determinado conteúdo escolar que não tenha essa facilidade, sem com isso ter um prejuízo emocional”, finaliza a neuropsicopedagoga.

 

Exposição: A ARTE DE YOSHINO MABE

Exposição: WAKABAYASHI

Assessoria Contábil

KARATÊ

Exposição: A ARTE DE YOSHINO MABE

Exposição: WAKABAYASHI

Assessoria Contábil

KARATÊ